Mediúnico

Home / DEPARTAMENTOS / Mediúnico

O Departamento Mediúnico tem à frente as seguintes diretoras: Maria Regina Marcondes, Luiza Faoro Borba,  Júlio César Thibes e Madalena Matsumoto

O Departamento conta com 8 sessões mediúnicas, sendo uma de desobsessão, após a sessão de fluidoterapia, na 5ª feira à tarde.
Durante a sessão de desobsessão, as pessoas em tratamento participam de um curso especial para elas.

Conta também com 11 sessões de caridade, sendo 2 sessões de passes para crianças e 9 sessões de passes de tratamento para adultos, distribuídas entre os dois núcleos do CEFAC

Os cursos sobre Aplicação de Passes, Atendimento Fraterno, Dirigentes de Sessões Mediúnicas e outros nesta área são organizados por este Departamento.

REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO MEDIÚNICO DO CEFAC

CAPÍTULO I – DO REGIMENTO INTERNO

Artigo 1º – O presente Regimento Interno, do DEPARTAMENTO MEDIÚNICO DO CENTRO ESPÍRITA FÉ, AMOR E CARIDADE – CEFAC, situado na Rua Maranguape, 199, bairro Victor Konder, Blumenau – SC, aprovado em reunião de diretoria do dia 24 de abril de 2009, dispõe sobre a estrutura e normas do referido Departamento, elaboradas para a preservação da ordem nas atividades mediúnicas.

CAPÍTULO II – DAS ATIVIDADES MEDIÚNICAS

Artigo 2º – As atividades mediúnicas consistem no serviço de auxílio voluntário dos espíritas, realizado mediante à atuação em sessões mediúnicas, administração de passes e atendimento fraterno.

Parágrafo único – As atividades serão desenvolvidas no Núcleo Victor Konder, na Rua Maranguape, 199, bairro Victor Konder e/ou no Núcleo Velha, na Rua Gustavo Budag, 91, bairro da Velha, em Blumenau – SC, excetuando-se as situações que requeiram o deslocamento dos médiuns para visitas hospitalares e/ou domiciliares, casos em que será formada uma comitiva de, no mínimo, 3 (três) médiuns.

CAPÍTULO III – DAS ATRIBUIÇÕES DO DEPARTAMENTO MEDIÚNICO

Artigo 3º – Organizar e estruturar as diversas atividades na área da mediunidade realizadas no Centro Espírita Fé, Amor e Caridade.

Artigo 4º – Zelar pela aplicação dos critérios e diretrizes para a prática mediúnica, conforme orientações da FEB.

Artigo 5º – Promover e garantir a aplicação de programas de estudo específicos para os tarefeiros das atividades mediúnicas.

Artigo 6º – Promover periodicamente a avaliação das atividades mediúnicas.

Artigo 7º – Dirimir dúvidas, ouvir sugestões, e auxiliar os médiuns em suas dificuldades.

CAPÍTULO IV – DA ADMISSÃO AO QUADRO DE MÉDIUNS

Artigo 8º – A admissão de médiuns às atividades mediúnicas está subordinada ao estudo preparatório especificado nos parágrafos abaixo e às entrevistas dos pretendentes com o Departamento Mediúnico, para recepcioná-los nas novas tarefas.

Parágrafo primeiro – O ingresso aos trabalhos nas sessões mediúnicas requer a conclusão dos Cursos de Doutrina Espírita oferecidos pelo Departamento Doutrinário e Educação da Mediunidade, bem como o desenvolvimento prático das faculdades mediúnicas.

Parágrafo segundo – O ingresso aos trabalhos de passes requer a prévia frequência a curso da Doutrina Espírita por, no mínimo, 2 (dois) anos, e a participação no Curso de Passes ministrado no CEFAC.

Parágrafo terceiro – O ingresso ao atendimento de conversa fraterna requer que o médium tenha bom conhecimento da Doutrina Espírita, boa conduta moral e que possua vivência e maturidade.

Artigo 9º – Uma vez concluídas as medidas preparatórias, cabe ao Departamento Mediúnico, após entrevista, encaminhar os interessados e distribuir integrantes do seu quadro nos diversos setores de trabalho.

Artigo 10º – A permanência nas atividades mediúnicas está vinculada à disposição de aderir à proposta de qualificação e estudo permanente, à vinculação comprovada na instituição, ao equilíbrio psíquico e físico, e ao exercício da harmonia e fraternidade entre todos os seus integrantes.

CAPÍTULO V – DOS DEVERES DOS MÉDIUNS

Artigo 11 – Constituem-se deveres do médium, além dos já estudados durante o curso específico:

a) integridade moral;

b) assiduidade;

c) pontualidade;

d) frequência constante em pelo menos um curso oferecido pelo CEFAC e em nível de acordo com os conhecimentos adquiridos;

e) disposição para o estudo e para a melhora íntima.

Artigo 12 – É da competência e responsabilidade dos dirigentes dos trabalhos mediúnicos a observação do desempenho dos médiuns, assim como a dos deveres a que todos estão vinculados nesta área.

CAPÍTULO VI – DAS SESSÕES MEDIÚNICAS

Artigo 13 – É de competência do Departamento Mediúnico a organização, o acompanhamento e a orientação dos grupos mediúnicos em formação, assim como os que estão em andamento, inclusive a indicação do médium para exercer a função de dirigente de sessão mediúnica.

Parágrafo único – O dirigente indicado deverá preencher os requisitos constantes do artigo 8º, parágrafo primeiro, e estar participando de grupo mediúnico há 2 (dois) anos.

CAPÍTULO VII – DO AFASTAMENTO DAS FUNÇÕES

Artigo 14 – Serão afastados temporariamente de suas funções os médiuns:

a) em tratamento de desobsessão;

b) em tratamento médico que possa dificultar a prática mediúnica;

c) em gestação após o 6º (sexto) mês ou, em caso de dificuldade gestatória, a qualquer momento em que se torne aconselhável abster-se dos trabalhos.

Parágrafo único – Caso o médium solicite afastamento de um mês ou mais, por motivos particulares, antes de retornar às atividades mediúnicas deverá passar por avaliação do Departamento Mediúnico.

Artigo 15 – Serão suspensos das atividades mediúnicas os médiuns que, sem justificativa real, tiverem 3 (três) faltas consecutivas ao compromisso respectivo, bem como faltas não consecutivas que excedam a 10 (dez) anuais.

CAPÍTULO VIII – DO REINGRESSO

Artigo 16 – Cessará o afastamento temporário:

a)  ao término do tratamento, em caso de desobsessão;

b) após entrevista com o Departamento Mediúnico, no caso de tratamento médico prolongado;

c) 3 (três) meses após o parto.

Artigo 17 – O reingresso do médium abstido voluntariamente ou suspenso de suas funções na forma do artigo 15, assim como o ingresso de médiuns provenientes de outros Centros Espíritas, deve ser precedido da permanência em curso oferecido pelo CEFAC, por um período de 6 (seis) meses, para fins de harmonização, e de entrevista com o Departamento Mediúnico, que poderá modificar este prazo conforme a situação.

CAPÍTULO IX – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Artigo 18 – O Departamento Mediúnico promoverá o atendimento fraterno aos trabalhadores da Casa Espírita em horário a ser divulgado. Havendo necessidade, o encarregado deste atendimento poderá encaminhar o trabalhador ao tratamento de desobsessão. E caso as necessidades sejam de ordem material, será encaminhado diretamente ao Departamento de Assistência e Promoção Social.

Artigo 19 – Os casos omissos serão resolvidos por apreciação do Departamento Mediúnico.

Artigo 20 – O presente Regimento Interno entrará em vigor a partir da data de sua aprovação.

Blumenau, 24 de abril de 2009.